Análise descritiva da cobertura vacinal executada pelo programa nacional de imunizações entre 2015 e 2019

Autores

  • Lúcia Magnólia Albuquerque Soares de Camargo Unifacisa Centro Universitário
  • Lara Kamylli Felismino Chagas Unifacisa

DOI:

https://doi.org/10.36489/saudecoletiva.2021v11i60p4566-4577

Palavras-chave:

Programas de Imunização, Cobertura Vacinal, Políticas de Saúde

Resumo

Objetivo: Realizar uma análise descritiva da cobertura vacinal executada pelo programa nacional de imunizações entre 2015 e 2019. Método: Foi realizado um estudo descritivo, com base nas informações epidemiológicas das coberturas vacinais do Brasil. Foram utilizadas variáveis como Cobertura Nacional, Cobertura por Região, Média das taxas de Cobertura entre  Regiões e Média de Cobertura entre Estados. Resultados: Em 2015 a taxa de cobertura vacinal alcançou 95,7%, valor superior ao ideal. Os anos subsequentes apresentaram brusco rebaixamento dessa taxa com 50,44% em 2016, 69,04%, em 2017 e 71,99% em 2018. 2019 manifestou apenas 45,65%. A Região Sul, obteve a maior média (72,20%), enquanto a Região Norte (61,28%), com a menor taxa. Conclusão: O cenário é comprometedor  no tocante ao controle das doenças imunopreveníveis, reflete a necessidade de aprimorar a comunicação entre profissionais e a população, a fim de unificar e promover informações corretas e seguras sobre a vacina.

Biografia do Autor

Lúcia Magnólia Albuquerque Soares de Camargo, Unifacisa Centro Universitário

Professora do Curso de Enfermagem, UNIFACISA. Coordenadora da Liga Acadêmica de Saúde Coletiva de Enfermagem - LASCEN. Mestre em Saúde Coletiva. Especialista em Gestão de Serviços de Saúde e Adm. Hospitalar, Saúde do Trabalhador e Saúde Pública. Enfermeira.

Lara Kamylli Felismino Chagas, Unifacisa

Presidente LASCEN. Graduanda do Curso de Enfermagem UNIFACISA.

Publicado

2021-01-05

Como Citar

Albuquerque Soares de Camargo, L. M., & Felismino Chagas, L. K. . (2021). Análise descritiva da cobertura vacinal executada pelo programa nacional de imunizações entre 2015 e 2019. Saúde Coletiva (Barueri), 11(60), 4566-4577. https://doi.org/10.36489/saudecoletiva.2021v11i60p4566-4577

Edição

Seção

Artigos Científicos