Instrumentos de rastreamentos de maus-tratos à pessoa idosa na rotina do atendimento clínico odontológico público

Autores

  • José Itamar de Omena Mateus Rocha
  • Ana Lídia Soares Cota
  • Wanderson Thales de Souza Braga
  • Robson Rodrigues da Silva
  • Laura Morgana Pino dos Santos
  • Sabrina de Lima Melo

DOI:

https://doi.org/10.36489/saudecoletiva.2021v11i63p5390-5405

Palavras-chave:

Maus-Tratos ao Idoso, Estratégia Saúde da Família, Cirurgião-Dentista

Resumo

O estatuto do idoso trouxe mudanças significativas para a legislação brasileira quanto a qualidade de vida de idosos. Mesmo garantida por lei, esta qualidade de vida tem sido alvo de estudos que apontam a resultados alarmantes de maus tratos. Objetivo: evidenciar a importância da aplicabilidade dos instrumentos para rastreamento de maus tratos em idosos pelos cirurgiões-dentistas na identificação de violência sofrida em domicílio na rotina do atendimento clínico dos pacientes cadastrados na Estratégia Saúde da Família (ESF). Método: Trata-se de uma revisão de literatura, que foi realizada no mês de junho de 2019. Resultados: Embora as fontes governamentais não apontem um grande índice, a violência contra o idoso acontece dentro do lar, dificultando sua identificação. Os cirurgiões-dentistas cadastrados na ESF têm fundamental importância no uso de instrumentos para rastreamento de maus tratos, encaminhando os casos aos órgãos de proteção. Conclusão: Quando capacitado, o cirurgião dentista pode realizar o rastreamento de maus tratos ao idoso de maneira eficaz e conclusiva através dos instrumentos de rastreamento.

Biografia do Autor

José Itamar de Omena Mateus Rocha

Graduado em Odontologia pelo Centro Universitário Tiradentes - Maceió-AL(2018). Especialista em Gestão Pública pela Uniasselvi (2020). Pós Graduado em Harmonização Orofacial pelo Instituto Pithon Napoli (SP). Atualmente é Cirurgião-Dentista do Programa Saúde da Família (PSF) do município de São José da Laje (AL). Mestrando Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas pelo Centro Universitário Tiradentes, Maceió-AL. Pós Graduando em Gênero e Sexualidade pela FAVENI.

Ana Lídia Soares Cota

Graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Alagoas -2003, Mestrado em Odontologia pela Universidade Norte do Paraná -2008 e Doutorado em Ciências Odontológicas Aplicadas pela Faculdade de Odontologia de Bauru - USP -2013. Tem experiência na área de Odontologia. Atualmente é cirurgiã- dentista da Secretaria Municipal de Saúde de Maceió, Docente titular do curso de Odontologia, Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação (Mestrado/Doutorado) em Sociedade, Tecnologias e Politicas Públicas do Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL.

Wanderson Thales de Souza Braga

Acadêmico em odontologia no Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL. Atual membro da Liga acadêmica de Diagnóstico por Imagem Odontológica - LADIO/Cesmac (Ciclo 2019-2020). Atual membro do projeto de Extensão Nutricionando – UFAL.

Robson Rodrigues da Silva

Acadêmico do curso de Nutrição pelo Centro Universitário Tiradentes, UNIT-AL, mentor do curso de nutrição do Centro Universitário Tiradentes, membro do Grupo de Estudos em Nutrição em Saúde Pública (GENUSP). Bolsista do programa de Extensão ARTFAL do Instituto Federal de Alagoas.

Laura Morgana Pino dos Santos

Graduada em Odontologia pelo Centro Universitário Tiradentes - Maceió-AL(2018). Especialista em Prótese Dentária pela São Leopoldo Mandic (2020). Atualmente é servidora pública do estado de Alagoas.

Sabrina de Lima Melo

Graduada em Odontologia pelo Centro Universitário Tiradentes - Maceió-AL(2018). Especialista em Prótese Dentária (COESP-PB) (2020). Atualmente é Cirurgiã-Dentista do Programa Saúde da Família (PSF) do município de Dois Riachos (AL).

Publicado

2021-04-06

Como Citar

de Omena Mateus Rocha , J. I. ., Soares Cota, A. L. ., de Souza Braga, W. T. ., Rodrigues da Silva, R. ., Pino dos Santos , L. M. ., & de Lima Melo, S. (2021). Instrumentos de rastreamentos de maus-tratos à pessoa idosa na rotina do atendimento clínico odontológico público. Saúde Coletiva (Barueri), 11(63), 5390-5405. https://doi.org/10.36489/saudecoletiva.2021v11i63p5390-5405

Edição

Seção

Artigos Científicos