A insustentável leveza do toque: reconhecimento do cuidado ao pé diabético

Autores

  • Denise Mota Araripe Pereira Fernandes
  • Vilma Felipe Costa de Melo
  • Lana Muriely Borges de Assis
  • Marina de Lima Pinheiro
  • Melissa Maria Medeiros de Morais
  • Maria Clara de Araujo Remigio Batista

DOI:

https://doi.org/10.36489/saudecoletiva.2021v11i61p4808-4817

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Pé Diabético, Educação em Saúde

Resumo

Diabetes mellitus é um problema de saúde pública, onde o cuidado com o pé é essencial, a fim de reduzir as complicações macro e microvasculares. Objetivo: Visa abordar a importância da avaliação dos pés diabéticos na prevenção de complicações e da educação em saúde na potencialização do autocuidado, a partir da vivência de residentes em Medicina de Família e Comunidade. Método: Trata-se de um estudo observacional, descritivo e transversal. Resultado: Mesmo com recursos escassos, pode-se restaurar peles e almas de pessoas que não possuíam autocuidado ou que não procuravam assistência à saúde. A longitudinalidade como uma das características da Atenção Primária à Saúde permitiu uma melhora do acesso aos usuários e de sua qualidade de vida. Conclusão: A educação em saúde dos portadores de pé diabético contribui significativamente para diminuição de agravos. As expectativas dos profissionais e dos pacientes com doenças crônicas tornam o cuidado desafiador.

Biografia do Autor

Denise Mota Araripe Pereira Fernandes

Mestranda em Saúde da Família pela FACENE, médica de família e comunidade, docente e preceptora da Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba/PB).

Vilma Felipe Costa de Melo

Doutora. Psicóloga. Orientadora e docente do Mestrado em Saúde da Família pela FACENE.

Lana Muriely Borges de Assis

Residente em Medicina de Família e Comunidade (MFC) pela Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa - SMS/JP em parceria com a Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba (FCM-PB). Graduada em medicina pela Faculdade de Medicina Nova Esperança (FAMENE).

Marina de Lima Pinheiro

Residente em Medicina de Família e Comunidade (MFC) pela Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa - SMS/JP em parceria com a Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba (FCM-PB). Graduada em medicina pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Melissa Maria Medeiros de Morais

Residente em Medicina de Família e Comunidade (MFC) pela Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa - SMS/JP em parceria com a Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba (FCM-PB). Graduada em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Maria Clara de Araujo Remigio Batista

Graduanda do curso de Medicina da Unipê.

Publicado

2021-02-01

Como Citar

Mota Araripe Pereira Fernandes , D. ., Costa de Melo, V. F. ., Borges de Assis, L. M. ., de Lima Pinheiro, M. ., Medeiros de Morais , M. M. ., & de Araujo Remigio Batista, M. C. (2021). A insustentável leveza do toque: reconhecimento do cuidado ao pé diabético. Saúde Coletiva (Barueri), 11(61), 4808-4817. https://doi.org/10.36489/saudecoletiva.2021v11i61p4808-4817

Edição

Seção

Artigos Científicos